sexta-feira, 18 de março de 2011

Pra você


Quero possuir tuas curvas acentuadas,
Roubar tua língua dura,
Arrancar teus olhos meus,
E fixar-me sobre meus teus,
Sempre teus.

Gosto do teu corpo maduro,
Tua pele flamejante em apelo,
E no teu cabelo me apego,
Escorrego meus dedos pelo teu pelo,
Pelo teu pensamento enfermo,
Pelo tua cabeça em sossego.

Sofro com tua boca curvada,
Arredondada,
Como um sinal de atenção,
Ou pretenção,
Senão,
Ou então,
Eu te amaria também.

Aqui dentro tem tanta coisa,
E lá fora só chove água fria.

Te amo também por muitas coisas,
E outras,
E também te amo pelo simples fato do livre abítrio:
Aquilo de poder amar qual um,
Mas me fez o teu refém.

Guilherme Quintanilha

Um comentário:

Friends:Renata e Juliana disse...

Renata disse:
A sinestesia do amor.Sentir em todos os sentidos.