terça-feira, 26 de abril de 2011

Sinto uma saudade irracional por você. A ponta dos meus dedos adormecem, minha pele resseca quando não percebo tua presença. Vejo teus olhos na lua e eles me indicam mudança. Quando a maré encher, reproduzirá o reflexo do teu olho torpe. Me desfacelarei em qualquer onda quebrada. Danem-se os costumes, farão controvérsias em nome da ciência. Danem-se, cientistas! Tudo que é passado me angustia. Vivo dualizando meus dizeres, enquanto os divulgam por aí como se fossem construídos. Tudo que exponho é um eu que ninguém vê, por isso parecem tão dúbios. Sou nada mais que eu mesmo.

Guilherme Quintanilha

Um comentário:

Friends:Renata e Juliana disse...

Renata disse:
Sintomas de uma saudade irracional!!
Poxa,tão lindo isso...